18.8.16

Foi bom, mas nem tanto assim...

Foi bom passar o sábado longe de você, não me entenda mal, mas foi bom poder escrever esse texto sem você por perto, por quê eu quis, mas se fosse do meu querer, eu escrevia com você do lado.


É engraçado ouvir minha mãe dizer ‘é bom ficar sem se ver, a saudade aumenta’, ela não sabe que a saudade chega 5 minutos antes da despedida, mas em compensação, a felicidade também chega 5 minutos antes do reencontro, essas sensações não são algo que eu queira sentir ou tenha me programado pra fazer com o tempo.Você já assistiu Farhampton*? Se não, deveria, você iria entender.
Além de ter tempo p'ra escrever sem você, eu tive tempo pra pensar. Três meses, três dias, algumas horas e o minutos não me importam tanto assim. É muito tempo. Noventa e quatro dias. Duas mil, cento e noventa e algumas horas. Equivalentemente eu aprendi muita coisa nesse tempo, aprendi a cuidar bem, a gostar mais ainda de abraços, a ligar pra míseros cuidados do tipo 'você chegou bem em casa?’, coisinhas pequenas igual olhar um no olho do outro e sorrir, e mais tanta coisa que eu não sei se quero te contar, mas eu só preciso disso.
Quando eu olho no fundo do seu olho, eu vejo o meu reflexo, e no meu reflexo eu vejo meus olhos brilhando, então eu penso 'caralho, como meu cabelo é bonito, mesmo bagunçado’ e aí depois eu penso 'como esse gordinho é lindo, e eu gosto tanto dele, e ele é meu, eu sou sortuda por isso’. E a cada vez eu tenho mais motivos pra isso, mais motivos pra gostar de você, pra te achar lindo, pra achar que você é meu 'lebenslangerschicksalsschatz', mais motivos pra querer sempre olhar no fundo dos seus olhos.
Você já assistiu Farhampton? Deveria, você iria saber que 'lebenslangerschicksalsschatz' é o tesouro do destino, é algo que acontece naturalmente, que pode encher e te esvaziar ao mesmo tempo, algo que você sente em todas as partes do corpo, nas mãos, na pele, na barriga. No coração.
E espero que pelas próximas duas mil, cento e noventa e poucas horas, ou mais, bem mais diga-se de passagem, teu abraço continue sendo minha morada, e essa sua cara de sonso a minha inspiração. Que você continue sendo chato, mas por baixo dessa chatice toda, é uma das melhores pessoas do mundo, do meu mundo. E continuar tendo você pra cuidar de mim, e que você continue me tendo pra cuidar de você. E rir da minha cara por quê eu nunca sei aonde eu coloco as coisas, ou por quê eu sou idiota, mas você também é.
É legal pensar sobre você, e passar o dia com você revirando dentro da minha cabeça, por quê você é a resposta pra muitas perguntas que eu tinha e ao mesmo tempo é um problema matemático difícil de se resolver. Você é o fácil no meio do que eu sou complexa. Você torna meus dias mais felizes, mais fáceis e mais coloridos, mesmo que você não entenda de cor. É só bobagem, mas é de verdade.
Foi bom, mas nem tanto assim, eu queria você aqui do meu lado, pra mim te encher de beijo e de abraço, pra te fazer rir e te amar um pouquinho mais de cada vez.
-
*Farhampton é o primeiro episódio da oitava temporada de How I Met Your Mother.

4 comentários :

  1. Olá
    eu adoro esse tipo de texto pois me faz sentir nostálgica. Parabéns pela delicadeza do texto e das palavras em, geral e por me fazer refletir tanto

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada você pela visita e por esse comentário fofo <3

      Excluir
  2. Oiii.
    Não sou muito de ler textos mais reglexivos. Porém gostei bastante do seu texto, você escreve muito bem, parabéns.
    Abraços Mary.

    ResponderExcluir