25.1.17

III - A Hora Morta, uma antologia da Luva Editora

A mais ou menos um mês, minha melhor amiga me mostrou um vídeo sobre a Hora Morta, e eu achei ele meio engraçado diga-se de passagem, mas algumas semanas depois recebi um email falando sobre "III - A Hora Morta" e pensei será que é um sinal de Deus p'ra mim participar? Mas não era não, era só um sinal de que eu devia falar sobre a antologia aqui no blog, pelo menos, eu quis que fosse assim.
Chamada de Hora Morta, ou ainda Hora do Diabo, as 3h da manhã é famosa por ser um momento em que demônios e maldições ficam mais fortes. Não faltam relatos de pessoas atormentadas por pesadelos ou alegando que se veem presas em algum encanto maligno precisamente às 3h da madrugada. Segundo o cristianismo, isso acontece porque Cristo morreu às 3h da tarde, e a hora se tornou simbolicamente relacionada a Jesus. Então, seria a hora oposta, ou seja, a hora maligna, morta, do Diabo.
Ninguém sabe ao certo a origem das maldições ligadas às 3h; tampouco se tem o conhecimento de como nasce uma. Desde um homem que, ao tirar a própria vida, amaldiçoa aquela que não correspondeu ao seu amor e, junto com ela, todas as filhas de sua geração. Ou um casa que, outrora, fora palco de uma chacina e ainda hoje enlouquece todo aquele que nela se arrisca a morar. Até o revólver que pertenceu ao maior e mais frio assassino da história brasileira e que, depois de sua morte, passou a roubar a alma de todo o que o utilizar. Não faltam histórias – dentre tantas diferentes crenças e versões – para relatar uma maldição que assombra algo, ou alguém, ou algum lugar.
。。。
A Luva Editora decidiu lançar a sua primeira antologia no dia dos amaldiçoados e da má sorte, ou seja, sexta-feira 13. Além disso, não posso deixar de falar das participações especiais presentes na organização: Fernando Bins (autor do livro Os Olhos do Condenado), César Bravo (Ultra Carnem) e Sérgio Pereira Couto (Almanaque das Sociedades Secretas). Nessa antologia, a Luva Editora abre espaço para que você conte a sua história de maldição, ou uma que assombre a sua cidade. Mas não pode esquecer de usar a Hora Morta no seu conto, pode ser fora sutil ou determinante e bem marcada. Você pode trazer fragmentos da história da construção do município; pode criar o enredo de uma família que rondava as ruas madrugais das periferias; pode até mesmo utilizar de algum objeto típico de sua cidade para elaborar uma maldição. Seja criativo! Contando que a maldição seja inédita, a Hora Morta seja citada e o cenário seja sua própria cidade, tudo mais é permitido!
E se você ficou no mínimo curioso por essa antologia, você pode encontrar mais informações aqui, mas não esquece de passar os olhos no regulamento aqui em baixo, tá bom?

REGULAMENTO 
  • Para participar desta coletânea o autor se compromete a atender o tema principal.
  • A antologia III estará aberta de 13 de JANEIRO de 2017 até 17 de MARÇO com previsão de lançamento para o mês de JUNHO do mesmo ano.
  • O conto deve limitar-se até 10000 caracteres com espaços. Caso o texto seja aprovado e a cota maior do que a celebrada nos termos deste contrato, a mesma será recalculada de 10.001 a 11.000 caracteres e acrescido o valor de R$ 15,00; de 11.001 a 12.000 caracteres = R$ 30,00 e assim sucessivamente.
  • Caso o texto seja aprovado, o(a) autor(a) se compromete a contribuir com a quantia de R$220,00 (DUZENTOS E VINTE REAIS) para a confecção das cópias.

*O texto base desse post foi retirado do site da Luva Editora.

2 comentários :

  1. Adorei a proposta da antologia, pena que sou péssima em escrever, rs. Já ouvi algumas histórias mesmo sobre este horário, mas não os exemplos que você deu, achei-os bem interessantes. Espero ler quando estiver pronto :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também adorei, achei bem diferente das antologias que eu vejo sempre por aí, se eu soubesse escrever terror até participava! Quando ficar pronto eu posto aqui <3

      Excluir