12.7.17

A Estrela de Seis Pontas | Resenha

Imagine dormir por dezesseis anos e acordar sem saber de nada, nem mesmo quem você é, mas ainda assim tendo a responsabilidade do peso da coroa em sua cabeça. Você é a Estrela de Seis Pontas, você é o que foi gerado para ser.


Eu não sei como te introduzir nessa história, ela é complexa demais para isso, mas vamos tentar.
De início nós conhecemos Kevan, um dos participantes do Amurrarhi, um ritual de divisão de almas que o prendeu a sua sobrinha Khiara. Dezesseis anos após o ritual, Khiara e o seu irmão Kendry ainda dormem, fazendo com que Arturo e Kevan, seus tios, não consigam pregar os olhos. Kevan vive escondido em uma espécie de mosteiro depois que seu irmão supostamente assassinou a mãe de Khiara, desde então ele vive recluso ensinando a sua sobrinha adormecida tudo o que sabe sobre a vida. Até o momento em que ela acorda.
Alguém que prometeu manter segredo sobre o paradeiro da princesa abriu a boca, e contou ao rei aonde ela se encontrava. Foi o começo de uma guerra civil. A princesa foge com a ajuda de Brayan, mas quando ele é ferido e ela se embrenha no meio da floresta, um grupo de caçadores de recompensa a capturam, mesmo sem saber quem ela é. Vivendo dentro de uma gaiola com uma garota ferida e prestes a morrer, elas fazem amizade e esperam serem levadas para o rei descobrir quem é Morganna Grand, a herdeira d'Água e quem é a verdadeira princesa Khiara. Numa noite qualquer, outra garota é capturada roubando comida dos ladrões. Quem é quem?
Depois de escaparem do bando com a ajuda de Brayan, eles partem para uma longa viagem em direção ao reino. Mas claro, com alguns contratempos e aventuras antes de chegar ao destino final. Como por exemplo, serem abrigados durante um tempo, em uma cabaninha no meio da floresta, por uma senhorinha muito gentil, mas quando os caçadores de recompensa aparecem querendo saber se eles passaram por ali, Khiara acaba revelando que seu poder está bem além de ser apenas a sua coroa de rainha!
Quando os ânimos se acalmam, eles partem a procura de uma navegação que possa levá-los para o Oriente. E aí que Safira, uma menina cega da Tribo da Terra, que assim como Brayan, tinha como missão encontrar e manter a princesa sã e salva. Então eles pegam o Fúria da Travessia e se querer acabam indo parar numa ilha aonde os habitantes pegam fogo sem se queimar, a Ilha dos Exilados, os Filhos do Fogo.
Eu não vou contar mais o que acontece, porque eu estou me segurando para não soltar os famigerados spoilers, mas vocês precisam saber acontece muita coisa e tem muita magia nessa história, e que no final além de uma guerra, existe uma reviravolta que eu tô com nó na cabeça até agora.
Já tinha dito nas primeiras impressões e no diário de leitura que esse livro tem um potencial enorme, né? E vou continuar dizendo isso, mesmo que o livro tenho alguns pontos que precisam de melhorias e/ou acréscimos. Essa é uma história maravilhosa com um mundo igualmente maravilhoso. O autor criou uma mitologia complexa, mas muito bem estruturada e planejada p'ra fazer tudo se encaixar, de um jeito que acaba de surpreendendo.
Durante a leitura a gente também percebe que essa não foi história criada num surto de criatividade ou algo parecido, o autor teve o cuidado de estudar, fazer inúmeras pesquisas e se empenhar tanto na parte da criação quanto na da escrita. Além do óbvio cuidado com a diversidade dos personagens.
SOBRE A EDIÇÃO
Apesar de achar que a capa não combine tanto assim com o livro, por motivos de: em nenhum momento é falado que a protagonista, no caso, a Khiara está de capa quando ela olha para a cidade e para o castelo, é uma capa bonita. E quando você paga os dedos pela escrita, seja título, nome do autor ou da editora, você sente um alto relevo bem gostosinho.
A revisão não é boa, o livro todo é cheio de errinhos bobos!! Eu não achei a diagramação e nem os mapas muito atraente, mas ainda assim são bonitos e super simples, super tranquilos.
As folhas não são totalmente amarelas nem totalmente brancas, ainda assim são confortáveis.

ISBN 8592572398 EDITORA COERÊNCIA PÁGINAS 508
CAPA ½ REVISÃO ¼  DIAGRAMAÇÃO ½ CONTEÚDO ½ GOSTO PESSOAL ✩ TOTAL ✩✩¾
A Estrela de Seis Pontas na Editora Coerência



Um comentário :