2.8.17

A VILA DOS PECADOS

Ponta Poente é um lugar dominado pelo mal, mas as coisas pioraram desde que o novo padre chegou. Agora você é o responsável por descobrir quem é o assassino por trás de todo esse expurgo!

Alfonso é cheio de amor, de bondade e de devoção em seu coração. Naturalmente seu caminho seria ascender dentro da Igreja, ocupar um posto alto em uma bela paróquia, mas o destino não quis assim e agora ele é o sucessor de Bento, um padre corrupto de uma vila corrupta. Bento foi forçado pela mãe a seguir os caminhos de Deus, mas ainda assim era amado por quase todos os moradores de Ponta Poente fazendo com que, até os que lhe odiavam de forma velada, entrassem em polvorosa com a sua morte. Medo, tristeza e alívio. Pelo menos até descobrirmos se Alfonso vai se deixar levar ou não pela manipulação de Doutor Pina.

Coisas estranhas começam a acontecer depois que Alfonso assumiu seu novo posto. Ele se mostra incorruptível e disposto a mudar os hábitos do povoado, e a natureza, sentindo o medo que o povo sente de ter seus segredos revelados, começa a se manifestar. O pior é que essas coisas estranhas incluem uma onda de assassinatos. Quem será o próximo? Seria o belo Alfonso o assassino? Ou seria alguém tentando esconder os seus segredos mais obscuros? Quem estará a salvo?

"O tempo parece nunca preocupar-se com as angústias pessoais, e se ele pode curar devido à sua sabedoria, também é bem verdade que acelera os anseios e processos de degeneração"


Eu adoro livros de suspense e mistério, não tanto quanto eu amo fantasia e ficção científica, mas ter um mistério a ser resolvido, um assassinato a ser desvendado, descobrir aonde o tesouro está guardado... Eu adoro essa sensação, essa corrida contra o que já está escrito, e consequentemente, predestinado a acontecer.  

Aqui nesse livro tem um mistério a ser resolvido? Tem, e é um mistério numa cidade erma, aonde todo mundo se conhece e todo mundo suspeita de todo mundo! Isso deveria dificultar que o leitor descobrisse quem é o assassino antes do momento apropriado, mas pelo contrário... Pelo menos para mim, a resolução do crime chegou antes da metade do livro, além do que, a autora vai deixando algumas pistas no decorrer da narrativa, o que não deveria acontecer, mas acaba facilitando as coisas.

Todo mundo sabe que a velocidade em que os fatos são apresentados é totalmente uma escolha do autor, mas em A Vila dos Pecados as coisas aconteceram de uma forma que me fez achar tudo muito arrastado, um marasmo em que nada acontece. Não digo isso no quesito de ler pouco, ler devagar ou ser uma leitura cansativa, longe disso aliás, mas digo no sentido de que quanto mais eu lia, mais o final se distanciava de mim e algumas informações foram até irrelevantes. Essas partes, da leitura e do assassino, foram as que mais me fizeram querer desistir da leitura.

"A maldade se esconde dentro de cada um e vem à tona quando fica tão grande que é impossível conter? É possível que alguém aprenda a ser malvado, cruel? Seria herança dos pais, avós, ou outra geração familiar?"


A Soraya tem uma escrita numa linguagem rebuscada, o que eu achei muito bom! Mas não posso dizer que ela é impecável, afinal, esse foi meu primeiro contato com qualquer coisa relacionada a autora, então não sei é de fato o estilo de escrita dela, a revisão ou somente a ambientação do livro, que se passa no final do século XIX! Ainda na parte da escrita, eu não acho que a atmosfera criada no livro seja sinistra como é dito na sinopse, achei uma atmosfera bem agradável na verdade, e aí vamos levar em consideração que sou acostumada com leituras mais pesadas e livros com descrições muito mais detalhadas, mas também não encontrei as lendas escuras e histórias macabras que povoam o imaginário popular de Ponta Poente!

Quanto ao objeto de distração, a autora poderia plantar um novo suspeito e direcionar todas as pistas para ele, colocar uma coisa totalmente nova no meio da história, como por exemplo, as lendas e as histórias macabras citadas na sinopse, mas ela não fez nada disso. Ela plantou um romance no meio da narrativa, mas desde o início ela já diz p'ra você não se iludir! Além do clima de romance e mistério, ela ressalta o que há de pior no ser humano: a própria humanidade. Enquanto ela nos mostra a dualidade entre o bem e o mal do ponto de vista de vários personagens, elas também mostra que todas as pessoas são passíveis de erros, porque todas possuem fraquezas. Sejam elas éticas ou morais.


Sendo bem sincera, de todas as edições que eu tenho da Editora Coerência, essa é a mais bonita! 
A capa é maravilhosa, e ajuda a criar a atmosfera p'ra entrar no clima do livro e a diagramação também é muito boa. Mas quando chega na parte da revisão, as coisas começam a decair. Algumas frases parecem estar soltas, sem nexo, sabe? Existe um problema de pontuação e espaçamento em algumas partes. No meio do livro, se você prestar atenção, também vai achar alguns erros que passam por distração e alguns outros que eu não sei como foram parar lá!

ISBN B01MSSA2QU EDITORA COERÊNCIA PÁGINAS 447

CAPA REVISÃO 0,5 DIAGRAMAÇÃO 1 CONTEÚDO 0.25 GOSTO PESSOAL 0.25 TOTAL ✩✩✩½

POSTAGEM POR NÁTALIA FERNANDES (@MASTERSYKA)



Nenhum comentário :

Postar um comentário