17.11.17

VOVÓ VIGARISTA


Vocês também passavam muito tempo com os avôs de vocês quando eram crianças? Eu sei que adorava ficar com minha avó, mas eu não lembro de muita coisa, nem dela nem desse tempo, porque ela faleceu quando eu tinha uns cinco anos. E tudo bem, eu tive várias avós postiças, porque minha mãe trabalha como cuidadora de idosos. Eu não sei exatamente o que eu quero dizer, mas ler esse livro me deu saudade da minha avó, tanto da que morreu quanto da que eu vejo uma vez por ano e eu tô com vontade chorar. Mas leiam a resenha até o final, juro que vai valer a pena!

Eu tinha prometido pra mim mesma que não ia ler nenhum livro até escrever as trinta resenhas pendentes, mas quando eu vi esse livro, eu não me segurei! Quem me conhece sabe que eu adoro ler livros infantis, e gosto mais ainda quando eles prometem fazer chorar ou rir, ou os dois, então eu peguei o meu Kindle, sentei e li esse livro de uma vez só!

"Os adultos sempre perguntam às crianças como elas estão na escola. O assunto que as crianças mais detestam. Não dá vontade de falar sobre a escola nem quando se está na escola."

Ben é um menino de onze anos que sonha em ser encanador, mas seus pais, que são apaixonados por dança de balão não apoiam essa escolha e esperam que um dia ele decida se tornar dançarino profissional. Toda sexta-feira Ben tem que dormir na casa da avó, porque é o dia do namoro e os pais saem para assistir Dançando com Superestrelas ao vivo!, ir ao Taj Mahal ou ir ao cinema. O grande problema é que, como várias crianças, ele acha sua avó extremamente chata, em parte porque ela cheira a repolha e em parte porque ela gosta de fazer palavras-cruzadas, ler livros de vigaristas e o coloca pra dormir cedo. 


Numa tentativa de escapar da casa da avó, ele liga e pede para seu pai ir buscá-lo, daí ele diz: olha, eu queria ir embora, minha avó é muito chata e eu não gosto de ficar aqui. O pai dele, de boa lá assistindo o programa favorito dele ao vivo nem liga, mas a avó escuta a ligação, e a gente nem precisa ser muito esperto pra saber que ela fica bem triste com essa visão que o neto tem dela, né?
E esse é o momento que a gente descobre que a vovó tem uma vida dupla e em uma delas, ela é uma das ladras de joias mais procuradas do mundo. O Ben fica extasiado com a história a ponto de fugir de casa algumas vezes pra ir visitar a vovó e escutar as histórias do seus roubos. Tudo vai muito bem, até o momento em que ela conta que seu sonho é roubar as Joias da Coroa, e ele decide que quer ir junto! Como a boa avó que ela é, óbvio, ela diz que não!
Aí as coisas começam a desandar, primeiro porque agora ela está hospitalizado e com vários exames para fazer, e segundo porque Ben não desiste do plano de jeito e convence ela a botar ele em prática! Vocês conseguem imaginar uma senhorinha e um garoto de onze anos roubando as Joias da Coroa de Londres? Pois é, eu também não conseguia, até o momento em que ela fugiu do hospital e seguir todos os passos, tim-tim por tim-tim! Como o livro é curto, eu não posso contar mais muita coisa, mas vou te contar um segredo: a rainha aparece por aqui.


O Ben é um garoto comum, em tudo, ele não é excepcional na escola e não tem nenhum grande dom. Ele mantêm em secreto o seu grande sonho de ser encanador porque tem medo de decepcionar os pais, e por causa disso, acaba mentindo pra eles ficarem orgulhos. Claro que isso não da muito certo e ele leva uma bronca enorme ao ponto de achar que os pais não amam ele, que se importam e todas essas coisas, e em certos pontos disso tudo aparentemente ele não está errado, mas o importante é que na maioria deles, ele também não tá certo.

"Todos estavam cansados de chorar. Enquanto isso, muitas pessoas fazias suas compras de Natal. As ruas estavam cheias de carros e havia uma fila enorme na porta do cinema. Ben não conseguia acreditar que a vida seguia quando algo tão grave e importante tinha acabado de acontecer."

Eu não sei exatamente o porquê de eu querer tanto ler esse livro, mas acabou sendo uma história tão necessária, tão leve e sobre uma coisa tão importante. Sendo bem sincera, se algum dia eu tiver filhos, eles irão conhecer as histórias do David Walliams, uma pra cada momento da infância/adolescência, e eu, já com meus quase vinte anos na cara, vou correndo conhecer as que eu ainda não li!


Eu sei que o que eu falar aqui não vai valer de nada se vocês não quiserem que valha, mas é difícil ser idoso. Eu não sou idosa, mas eu vejo os idosos do trabalho da minha mãe e às vezes é muito pesado. Quem já assistiu Caminho das Índias sabe que tem uma tradição (não sei se é real) que quando as pessoas completam 50 anos, elas voltam a ser crianças né? E idoso é exatamente isso, uma criança no corpo velho, agora imagina uma criança querer brincar, mas ninguém quer ficar perto e dar atenção, ninguém se importa! Muitos idosos se sentem assim, eles só querem um abraço, alguém pra conversar, pra ler uma história ou fazer palavras-cruzadas, e fazer isso por alguém não é difícil. Então se você tiver a oportunidade, faça! Pensa que em algum momento você também vai precisar disso, tá bom?
Sobre o livro em si, eu só posso falar que ele cumpre o que promete: você ri e chora, no caso, eu chorei muito, muito mesmo, e você vê as pessoas mais velhas de um jeito totalmente novo. Ele não têm um final tão feliz assim, mas também não é de todo triste. Afinal, agora o Ben vê a avó dele como a melhor do mundo e essa é uma lembrança muito boa de se ter, principalmente quando você não vai ter mais ela por perto!


Esse e-book é lindo! Eu estou completamente apaixonada por todas as ilustrações, se desse eu tiraria foto de todas e postaria aqui pra vocês verem. A revisão está muito boa, a diagramação também muito boa e a capa, fofíssima, né mores?

ISBN 9788580573459  EDITORA INTRÍNSECA PÁGINAS 240
CAPA 1 REVISÃO 1 DIAGRAMAÇÃO 1 CONTEÚDO 1 GOSTO PESSOAL 1 TOTAL ✩✩✩ 

14 comentários :

  1. Que livro mais lindo menina, mesmo sendo e-book, eu adoro ilustrações então já sei q esse seria uma ótima para mim, as vós sempre fizeram a diferença em nossas vidas e ainda fazem, a saudade é grande também, ótima resenha.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Olá! Adorei a sua resenha. Os livros infantis são muito prazerosos de se ler :)
    O tema escolhido também é lindo. Penso que a amizade entre avós e netos é uma das mais sinceras que existem. É como se os netos considerassem os avós como os melhores amigos, sendo que as crianças ainda não tem essa dimensão ou classificação que nós adultos adotamos para as nossas relações de amizade.

    ResponderExcluir
  3. eu passei pouco tempo com meus avós por questão geográfica, mas quando estava com eles, queria estar com eles, também, como você, adoro livros infantis. Ainda bem que você leu o livro, mesmo sem saber o motivo, pois tive a oportunidade de conhecer e adorei o que vi, as imagens, a história, tudo.

    ResponderExcluir
  4. Caramba, muito bacana realmente. Sua mensagem é muito linda também, pessoas que se preocupam com as outras são raras, continue assim !

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro descobrir coisas novas que posso indicar para meus filhos. Estou encantada com a resenha a história paracetamol ser ótima este vai para minha lista com certeza. Bjoa

    ResponderExcluir
  6. Preciso confessar que acabei essa resenha com lágrimas nos olhos. Por sentir muito pela sua avó, pelos idosos que sua mãe cuida. Eu tenho duas avós, uma com alzheimer e outra que apronta todas. E são mesmo duas crianças, que eu fiquei louca de vontade de abraçar nesse momento.
    Não conhecia essa história, mas meu Deus, eu quero demais. Já ta na minha lista da Black Friday. Eu amei a história, as ilustrações. É tão diferente uma vozinha vigarista haha
    Prevejo muita diversão!
    Eu ameeeeeei demais, parabéns. Beijos

    https://almde50tons.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Tenho vontade de ler esse livro desde quando li uma resenha dele. Acho a história bem interessante e queria saber como ela se desenvolve.
    As ilustrações são lindas <3

    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Tudo bom?
    Eu não conhecia o livro, mas fiquei encantada, curto muito esse tipo de narrativa. Além disso achei as ilustrações muito belas.
    Beijos, Joyce de Freitas.

    ResponderExcluir
  9. Esse livro com certeza deve ser lindo! Nunca tinha visto ele antes mas sua resenha me deixou com uma pontada de curiosidade, apesar dele não ser meu gênero preferido

    ResponderExcluir
  10. Olá, parece ser uma graça esse livro, já quero lê-lo pois amo essas histórias que são para o público infantil mas que também encantam a nós, adultos. Muito bacana a mensagem a respeito dos idosos que você passou com a resenha.

    ResponderExcluir
  11. Eu conheço o livro, mas não o li ainda. A leitura me parece rápida e divertida, que serve tanto para os mais novos como para os mais velhos. Quem sabe mais para frente leio.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  12. Eu já conhecia esse livro mas nunca li. Brinco com o meu marido falando que esse livro é da Avó dele. Parece ser uma leitura fluida e bem divertida. Com certeza quero ler.

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?

    Não conhecia esse livro, mas já fiquei aqui babando para lê-lo, pois adoro a forma como parece que o carinho e a descoberta foram incluídas. Jamais imaginaria uma vovó que rouba jóias e fiquei querendo saber como este plano do neto e da avó será planejado. Parece ser um bom livro de relações familiares! Adorei!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Oie
    não tinha a menor curiosidade na leitura mas uma amiga me indica sempre e sua resenha conseguiu me conquistar ainda mais pela leitura justamente por vc dizer que não sabe exatamente o pq curtiu tanto, gostei disso e com certeza vou arriscar

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir