DETALHANDO #2: Criaturas & Criadores (Raphael Draccon, Carolina Munhóz, Frini Georgakopoulos, Raphael Montes)

16 de jan de 2018
Antes de mais nada, eu preciso confessar que esse detalhando veio de imprevisto e surgiu de uma preguiça desenfreada de fazer resenha desse livro! Agora sim, me sinto pronta pra contar o que eu achei desse presentinho surpresa que recebi do Grupo Editorial Record logo assim que o livro foi lançado. Todo mundo pronto? Apertem os cintos, vamos decolar!

Pra quem ainda não conhece esse livro, ano passado, mais ou menos na época do Halloween, metade do meu feed do Instagram estava louco por esse livro, que nada mais é do que, quatro contos de quatro autores nacionais que são bastante conhecidos. A grande questão é que esses contos são releituras de grande clássicos (menos o do Raphael Montes, ele é o ~~diferentão ou então eu simplesmente não conheço esse clássico...), como Frankenstein, Drácula e O Fantasma da Ópera.
A minha história com Raphael Draccon já tem 10 anos, desde o lançamento de Dragões de Éter, e ele sempre foi um dos meus autores favoritos, de ter (quase) todos os livros dele, de chorar e se emocionar e essas coisas todas que os fãs fazem, sabe? Então espiem só a minha opinião sobre o conto dele! Com relação a Carolina Munhóz, eu sempre torci muito o nariz pra ela e tudo era só implicância até eu pegar um livro dela pra ler e não, apenas não. Isso é o que vocês precisam saber pra meio que se situarem nas minhas opiniões sobre esse livro, e sobre os outros dois, não vou falar nada porque não conheço, nunca nem tinha ouvido falar!


Abrindo o livro com chave de qualquer coisa pela qual passe eletricidade, temos o conto do Raphael Draccon. Frankenstein vive numa favela do Rio de Janeiro e foi criado por um médico meio que numa tentativa de ajudar o chefão do tráfico, que ajudou ele em determinado momento da vida, e numa tentativa de criar o milagre da vida e assim se tornar Deus (????)
Eu não sei como falar isso, porque é uma coisa que nunca pensei que diria na minha vida, mas A Criatura, uma coisa escrita pelo meu escritor favorito, me decepcionou. É uma história que tem tudo pra ser boa, tem várias reviravoltas que você fica É O QUÊ?, mas infelizmente, não deu. Lembro de que o meu primeiro pensamento depois de terminar foi: "ele mesmo escreveu isso?" e tentei de todas as formas entender o quê de tão fora do lugar tinha ali, e cheguei a conclusão que era tudo e eu juro que não sei explicar isso, que foi uma coisa que me deixou muito arrasada. Acho que senti mais senti falta de alguma coisa, sabe? Um dia eu descobro o que foi!


Aqui nós temos o Conde de Ville, que na verdade é o Drácula abrindo uma boate no Rio de Janeiro. Daí também temos uma mocinha que é escritora de coisas góticas e sobrenaturais e namora um bartender (ou barman, sei lá) que coincidentemente trabalha na boate do Vampirão. Eu nem vou contar o que acontece, mas logo de cara eu já sabia que ia torcer o nariz, e vocês sabem o porque... Esse é um conto de romance que pode fazer muitas meninas suspirarem, mas a mim mesmo só fez revirar os olhos uma dúzia de vezes. NÃO SENDO DE TODO RUIM, uma coisa que eu achei supimpástica, é que a protagonista é gorda. E eu não sei vocês, mas é muito raro eu ler um livro com uma protagonista gorda, e quando eu vejo uma, principalmente quando ela se aceita, eu acho fantabuloso!
Uma coisa que eu já ia esquecendo de falar: os contos do Draccon e da Carolina se conectam. Não vou contar como, mas eu achei essa conexão até legal. 


Esse é, sem dúvidas, um dos contos mais longos que eu já li na minha vida (tirando os do SK!), ele toma quase metade do livro pra vocês terem uma ideia! Eu também preciso conversar que nunca li nada relacionado a O Fantasma da Ópera, então acho que isso tanto faz como tanto fez! Eu não vou falar exatamente do que se trata o conto porque acho que a foto deixou meio óbvio, mas sem dúvida esse, pra mim, é o melhor conto do livro todo. Eu comecei já com o pé atrás porque né... mas a escrita da Frini e o conto em si, me surpreenderam de um jeito bom, mesmo com algumas ressalvas! Ela fala de um tema pesado, que é o relacionamento abusivo, mas de um jeito que eu não sei qual é a palavra certa pra usar. Mas desse conto eu gostei mais do que dos outros.


O conto do Raphael Montes me deu um gostinho do que seria ler um livro dele. Eu até agora não descobri se ele é realmente o diferentão que não se inspirou em nada ou se é um clássico que eu desconheço (na real que nem procurei), mas é um conto relativamente pesado, que me fez lembrar de várias coisas: síndrome de Estocolmo, aquele negócio lá de múltiplas personalidades que eu não lembro o nome... na minha humilde opinião, esse é o melhor conto do livro todo, sem ressalva nenhuma. Beijos!


Eu fazia parte da metade dos blogueiros literários que queriam ter esse livro, logo assim que ele lançou, e quando ele chegou na minha casa eu fiquei AI MEU DEUS DO CÉU, porque eu esperava um livro totalmente diferente, na real que não esperava livro nenhum, mas né... E depois de ler ele e ponderar sobre custo benefício, eu fiquei bem grata por não ter comprado na pré-venda, porque ia bater um arrependimento imenso de comprar um livro pra gostar de um conto e meio (?) e não importa o quanto a edição seja bonita, até porque eu não mantive ela na minha estante mesmo! 

AONDE COMPRAR: Criaturas e Criadores

Mas não se iludam, tá bom? Não é só porque eu não gostei, que vocês não vão amar essa leitura! Se você tem ele aí, dá uma chance! Quem sabe ele não te surpreende?


É isso migos! Mas me contem, alguém aí já leu esse livro? Quem não leu, acha que gostaria?
16 comentários em "DETALHANDO #2: Criaturas & Criadores (Raphael Draccon, Carolina Munhóz, Frini Georgakopoulos, Raphael Montes)"
  1. Oi, tudo bem?
    O legal de livros é que no geral cada leitor tem uma reação diferente ao ler, tem quem ame e quem odeia. Acho legal a ideia de colocar os livros pra circular principalmente porque outras pessoas podem amar.
    A edição é incrível, mas tenho um pé atrás quado recontam clássicos, impossível não traçar um comparativo e dependendo a expectativa sempre fica bem alta. Pelo menos sua leitura não foi totalmente desperdiçada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Nat!
    Menina, que coisa mais linda está esse livro! Não só a capa, mas os detalhes dentro também estão incríveis!
    Acho que eu também reviraria os olhos pro conto da Carolina. Tenho problemas sérios com as histórias dessa moça, não consigo me conectar e as tramas nunca me prendem. Enfim... ao menos não foi todo ruim, né?
    Feliz que tenha gostado. Eu até poderia me arriscar, mas...deixo passar!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Nat! Essa edição está linda demais, eu lembro de tê-lo visto por aí, mas não fiquei tão animada, acho que por ser um livro de contos. Mas, eu gosto de histórias clássicas repaginadas então talvez eu pudesse gostar desse livro, uma pena que ele não tenha lhe agradado. Senti falta apenas de que vc falasse um pouco mais sobre o conto do Raphael Montes para ver se eu conseguia identificar qual era a história em que ele se baseou haha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bom?
    Que post lindo! Tinha ouvido falar sobre esse livro, mas nem tinha procurado nada sobre ele. Já li um livro da Carolina e até gostei, do Draccon li poucas páginas de Dragões de Éter e dos outros dois nem li nada, nem conhecia a Frini, para ser sincero. Fiquei curioso para saber sobre o conto do Raphael Montes e fui procurar algo, vi que essa era uma versão estendida de um conto dele, mas também vi que é uma versão de O Médico e o Monstro, fiquei confuso e julgo ser os dois hahaha. Esse livro é bem bonito, adorei a diagramação e a capa. E mais uma vez suas fotos arrasando :D
    Até mais o/

    ResponderExcluir
  5. É duro dar de cara com um tropeço de um autor que gostamos tanto, mas não dá para acertar sempre. Não conhecia o livro, mas apesar de ter gostado da capa, por enquanto vou deixar de lado.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  6. Que edição maravilhosa menina, pena que a obra não tenha lhe agradado tanto o quanto gostaria, sei como é isso e realmente nos desmotiva, achei a capa linda demais e a edição fabulosa, aquele homem mau parece ser um dos melhores contos mesmo.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Hey, tudo bem? Não acredito que achei outra louca pela escrita do Draccon, sou completamente apaixonada pelos livros desse homem! Um pouco triste que você não tenha achado o conto dele tão bom assim. Ainda não li o livro (ainda estou na lista dos que estão doidos para terem) mas espero gostar bastante. Com a questão da Carolina, eu te entendo bem. Já peguei um livro dela para ler e fui louca de expectativa, afinal a premissa prometia uma fantasia maravilhosa. Porém deu tudo errado, quase choro de decepção haha Suas fotos ficaram lindas, viu? Beijos
    https://maresialiteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Olá! Acho que não leria por não curtir o gênero. Uma coisa que me chamou atenção é que você se decepcionou com o conto do seu autor favorito... E sei bem o sentimento! Passei por isso esses dias, não com uma autora FAVORITA, mas uma das que gosto muito. Você começa achando que vai ser bom só pelo fato de ser escrito por quem é, e a decepção é grande. Enfim! Ta

    Um beijo, Pri

    ResponderExcluir
  9. olha, ou te confessar que nao tinha visto nada sobre esse livro ainda xD
    tenho vontade de ler algo de Raphael mas Carolina eu passo longe... não fluiu bem a escrita dela comigo... os outros não conhecia, mas sendo franca, não rolou vibe pra fazer a leitura...
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Oiê! Mulher, imagino sua alegria já que era fã do Draccon, eu não sabia que ele era casada com a Carolina até procurar sobre ele no insta haha você sabia?
    O conto da Frini eu TB adorei, mas o do Montes foi LACRADOR DONA DA PORRA TODA. Haha ❤️

    ResponderExcluir
  11. nossa, o conto tomou metade do livro? então é uma novela, não curto ler contos grandes, gosto do gênero justamente pela peculiaridade de ser algo rápido. 'aquele negócio lá de múltiplas personalidades' morro de rir com você, adoro esse jeito de fazer resenhas descontraídas.

    ResponderExcluir
  12. Oie
    primeiramente, que edição maravilhosa e com certeza eu quis ler o livro depois da sua resenha, não sabia que era de contos, e gostei bastante dos temas principais, com certeza ja esta na minha lista desejados e parabéns pela linda resenha

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Que edição maravilhosa! Realmente, um conto que ocupa metade do livro merece um livro só para ele. hahaha
    Amei suas fotos e suas considerações sobre os contos, com certeza despertou a curiosidade nos leitores do Blog.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Oie amore,

    Nosssaaaa já queroooo... amo a Carol e o Raphael Draccon....
    Sendo muito sincera não tinha conhecimento a respeito desse livro.
    Mais estou até agora de boca aberta por aqui!
    Nossa imgaino como se sentiu quando recebeu essa belezura!
    Melhor ainda que o conto dos dois se contecta.
    Adorei sua resenha e melhor ainda por ter tido a oportunidade de conhecer o livro através de seu blog.

    Beijokas!

    ResponderExcluir
  15. Olha, nunca li nada do primeiro ou terceiro autor citado. A Munhoz eu li e não gostei nadinha. Já Raphael montes..... meu amooooor.... Eu amo de paixão! Fico feliz que tenha gostado do conto dele.
    Eu tinha visto essa edição e achei bem bonita, as não tive vontade de ter.
    Ainda bem então né??
    Obrigado pela dica!!!
    Beijos!!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Primeiro não tem como não elogiar a edição, está linda demais. Eu comecei a sua resenha toda animada, porque não gosto de livros de contos, mas para esse eu iria abrir uma exceção. Obrigada por sua resenha sincera, porque agora estou reconsiderando. Uma pena quando nos decepcionamos principalmente com aquele livros que esperamos tanto.
    beijinhos.
    cila.
    https://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir